fbpx No Novembro Azul, seja homem e se cuide! - Clínica Mário de Assis

(85) 3036.9000 | (85) 98685.0139

No Novembro Azul, seja homem e se cuide!

Praticamente todos os meses são relacionados a alguma causa específica, e então existem diversas ações a esse respeito durante todos os dias do mês ao redor do mundo.

Aconteceu recentemente com o Setembro Amarelo (Prevenção do Suicídio), Outubro Rosa (Combate ao Câncer de Mama) e agora entramos em novembro, e com ele começam a aparecer as ações do Novembro Azul.

Ao contrário do Outubro Rosa, que pode envolver tanto homens quanto mulheres, o Novembro Azul é direcionado exclusivamente para a saúde masculina, com maior foco no câncer de próstata, a segunda causa de morte por câncer no Brasil, muitas vezes ignorado ou desconhecido por muitos homens que sofrem com ele.

Inclusive, por isso, as campanhas são às vezes mais voltadas à conscientização do que ao combate em si, já que a doença é silenciosa e o diagnóstico precoce pode salvar a vida de muitos homens.

Quer entender melhor o movimento e todas as questões relacionadas a ele?

Sobre o câncer de próstata

O câncer de próstata é o tumor mais comum em homens com mais de 50 anos. Há estatísticas que apontam que ao menos um em cada seis podem desenvolver a doença ao longo da vida.

A próstata é o órgão responsável pela produção dos nutrientes e fluidos que fazem parte do esperma. Com a idade, ela cresce, e a chance de o câncer surgir aumenta.

O tumor se instala em qualquer parte da próstata e, após certo tempo, cresce e pode ocupá-la praticamente em sua totalidade, o que afeta também outros órgãos como a uretra e as vesículas seminais.

Sintomas

No início, a doença não apresenta sintomas (por isso, o cuidado com o diagnóstico deve ser redobrado) a maioria dos sintomas do câncer de próstata se concentra nos sistemas reprodutor e excretor. Porém, após algum tempo, pode evoluir e afetar ossos nas pernas e pés, entre outros locais. Veja os principais sintomas:

-fluxo urinário fraco ou interrompido;

-sangue na urina e/ou no sêmen;

-disfunção erétil;

-excesso de micção na parte da noite;

-incontinência urinária.

Em estágios mais avançados, quando o câncer passa a tomar os ossos (local onde costumam se desenvolver e permanecer por muitos anos), podem surgir dores nos quadris, costas e ombros, entre outros, além de fraqueza ou dormência nas pernas e nos pés.

Caso o câncer seja diagnosticado ainda em seus primeiros estágios, portanto, é necessário ficar atento aos sintomas para informar o médico caso surjam, já que isso significa um avanço da doença.

Como diagnosticar?

Existem duas formas de diagnóstico principais para o câncer de próstata, que podem ser combinadas para garantir uma maior certeza na hora de avaliar o paciente: o exame de toque retal e o PSA (antígeno prostático específico), feito pela análise do sangue.

É possível, também, que haja a necessidade de deixar ainda mais claro os resultados. Para isso, então, será realizada uma biópsia da próstata. Só então haverá certeza da presença do câncer.

Dependendo do estágio e dos sintomas, o médico poderá também solicitar outros exames para avaliar o crescimento da doença.

Quais são os tratamentos?

A idade, expectativa de vida, condições de saúde e de tratamento e a relação do paciente com certos efeitos colaterais dos medicamentos são alguns fatores de decisão na hora de sugerir tratamentos para o câncer.

As principais formas de tratar são:

-conduta expectante (para cânceres menos agressivos, há um acompanhamento do tumor com aplicação de antígenos e biópsias frequentes, evitando um tratamento desnecessário no primeiro momento);

radioterapia;

-criocirurgia (método cirúrgico para destruir lesões feito por meio de gases em baixas temperaturas);

-imunoterapia (forma de tratamento que estimula o sistema imune a combater o câncer);

quimioterapia;

-tratamento da disseminação para os ossos;

-hormonioterapia (tratamento que visa inibir a atividade de hormônios que influenciam no desenvolvimento do tumor).

 

Fonte: vittude.com

Receba nossas notícias