fbpx Veja alguns cuidados para garantir a saúde da mama - Clínica Mário de Assis

(85) 3036.9000 | (85) 98685.0139

Veja alguns cuidados para garantir a saúde da mama

Imagem: Shutterstock

Só o fato de ser mulher já é um fator de risco para a manifestação do câncer de mama. Quando se está em uma idade acima dos 50 anos e se possui histórico familiar direto com a doença, o cuidado deve ser redobrado.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), as mulheres devem enfrentar, em 2017, 57.960 casos novos de câncer de mama. Alguns fatores como tabagismo, sedentarismo e etilismo podem aumentar os riscos. A reincidência, no caso de pacientes que já apresentaram câncer de mama, se torna ainda mais provável na ausência de uma vida saudável.

Quem já sofreu com o câncer sabe o quão importante são alguns cuidados. “Quem tem câncer de mama não tem férias nem tem alta”, diz a aposentada Teresa Elizabete Carvalho, diagnosticada em 2013. Ela conta que hoje, três anos após ter tido alta da doença, ela ainda é acompanhada por um nutricionista a fim de monitorar sua dieta. Depois de 16 sessões de quimioterapia, 32 sessões de radioterapia e uma cirurgia, ela faz sessões de hormonoterapia periodicamente para controlar seus hormônios e evitar a reincidência da neoplasia.

Quanto à realização de exames de prevenção devem ser realizados anualmente a partir dos 40 anos, costume incentivado durante o Outubro Rosa. No entanto, o mastologista do Instituto do Câncer do Ceará (ICC) Antônio de Pádua ressalta: “a mamografia não evita o aparecimento do tumor de mama, ela faz com que o tumor de mama seja diagnosticado precocemente”. Para evitar a doença deve-se tomar alguns cuidados com a saúde física. Veja então pontos de alerta dados por Pádua:

Abandono do tabagismo
As substâncias presentes no cigarro promovem a mutação de células, que podem se transformar em um tumor. Uma pesquisa da Sociedade Americana do Câncer diz que pacientes que fumam mais do que um maço de cigarro por dia há pelo menos dez anos têm um risco 60% maior de desenvolver a doença em comparação com aquelas que fumam menos ou que não são fumantes.

Abandono do etilismo
O álcool pode aumentar os níveis do hormônio estrogênio, responsável, entre outras funções, pela divisão celular. Dessa forma, há maior chance de serem proliferadas células modificadas, promovendo o crescimento do câncer. Segundo uma pesquisa publicada no periódico Alcohol and Alcoholism em 2012, basta uma dose de bebida alcoólica por dia para aumentar o risco das mulheres desenvolverem câncer de mama em 5%.

Prática de exercícios
Com a prática de exercícios, pode se evitar problemas como a obesidade e o aumento da circunferência abdominal, fatores que aumentam a incidência do câncer. O mastologista Antônio de Pádua explica que o acúmulo de tecido adiposo no corpo é prejudicial por este ser um tecido endócrino, ou seja, que produz hormônios. Esses hormônios atuam como no caso do álcool, multiplicando células. Com a obesidade, o risco de mortalidade pela doença pode crescer até 46%, de acordo com uma pesquisa realizada pelo International Breast Cancer Study Group em 2003.

Alimentação saudável
Além de diminuir os riscos da obesidade, uma alimentação saudável influencia diretamente nos riscos de desenvolver câncer. Substâncias encontradas em alguns alimentos, como agrotóxicos, conservantes e estabilizantes podem promover a mutação de células, provocando uma alteração no ciclo celular. O indicado é uma dieta equilibrada, rica em frutas, verduras, legumes, cereais e fibras e evitando alimentos ricos em carboidratos ou processados industrialmente.

Fonte: https://www.opovo.com.br

Receba nossas notícias